Candidíase:
Cuidados e prevenções

A ginecologista Dra. Renata Reigota explicou
que a condição não é uma infecção sexualmente
transmissível, mas uma doença muito característica
desse período, responsável por acometer a vulva e
vagina.


’É causada pela proliferação da cândida, um fungo
que faz parte da flora vaginal, mas que apresenta
um aumento em concentração quando exposto a
temperaturas elevadas, causando alteração do pH.’


Entre os sintomas mais comuns estão: a coceira,
ardência e surgimento de secreção vaginal de textura
espessa, sem odor forte e com aspecto grumoso, o
inchaço e a vermelhidão na região.


A Dra. orientou para minimizar o risco da doença:
usar roupas íntimas de algodão, manter hábitos de
higiene adequados, evitar ficar muito tempo com
roupas molhadas e cuidado ao lavar roupas íntimas.


’Além de manterem uma prática regular de exercícios
físicos, alimentação balanceada, sono adequado e
hábitos de vida saudáveis. Lembrando de manter em
dia as avaliações com o seu ginecologista’.


Ao aparecimento de quaisquer sintomas que causem
incomodo na região íntima, é imprescindível que as
mulheres busquem ajuda profissional para que seja
realizada uma avaliação ginecológica imediata.


Confira a matéria completa no
site da Máxima Digital!

SAIBA MAIS

TEXTO: GABRIELE SALYNA 
EDIÇÃO: VITÓRIA GOMES
SUPERVISÃO: VITOR BALCIUNAS
CRÉDITOS: DIVULGAÇÃO/TENOR